Das Primeiras Expedições ao Turismo Organizado: a trajetória das visitações nas favelas da cidade do Rio de Janeiro

Caroline Martins de Melo Bottino

Resumo


O presente artigo busca elucidar a trajetória das visitações às favelas da cidade do Rio de Janeiro desde o início do século XX. Com a intervenção urbana na gestão do Prefeito Pereira Passos, desenvolveu-se na cidade o que hoje denominamos favela, um conjunto de habitações insalubres, geralmente instaladas nos morros ao redor da cidade. Esse espaço, desde o seu surgimento, despertava curiosidade nos indivíduos que desejavam compreender o modo de vida nas favelas cariocas. Ao contrário do que se imagina, ou melhor, do que se reivindica na atualidade, as primeiras incursões às favelas aconteceram muito antes do advento da ECO-92, mais precisamente ainda na década de 1920. Os primeiros relatos à respeito da vida no morro vieram dos engenheiros, higienistas e cronistas. Tão logo sua fama foi se espalhando, mais visitantes ilustres apareciam, desde poetas, artistas, políticos até líderes religiosos e monarcas. O interesse pela favela, como o presente artigo elucida, é antigo e perdura até os dias de hoje. Este estudo tem por objetivo construir uma cronologia das visitações às favelas, selecionando alguns marcos através de uma pesquisa baseada em periódicos, jornais e revistas, com o intuito de registrar o caminho que resultou na consolidação do turismo organizado. 


Palavras-chave


TURISMO, FAVELA, RIO DE JANEIRO

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Maurício, 1988. A EVOLUÇÃO URBANA DO RIO DE JANEIRO. Rio de Janeiro: IPLANRIO & Zahar.

BACKHEUSER, Everardo, 1996. "Habitações Populares", Rio de Janeiro: Imprensa Nacional.

BARRETO, Margaritha, 2007. Cultura e Turismo: Dicussões contemporâneas. Campinas: Papirus.

BENCHIMOL, Jaime, 1992. Pereira Passos: Um Haussmann Tropical. Rio de Janeiro: Biblioteca Carioca.

BENCHIMOL, Jaime, 2003. Reforma urbana e Revolta da Vacina na cidade do Rio de Janeiro. Em: O Brasil Republicano. O tempo do liberalismo excludente.. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, pp. 233-286.

CASTRO, Celso, 2001. A natureza turística do Rio de Janeiro. Em: M. BARRETO & Á. BANDUCCI JR., eds. Turismo e identidade local: uma visão antropológica. Campinas, SP: Papirus, pp. 117-125.

CASTRO, Celso, 2006. Narrativas e imagens do turismo no Rio de Janeiro. Em: G. Velho, ed. Antropologia Urbana: cultura e sociedade no Brasil e em Portugal. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, pp. 80-86.

EDMUNDO, Luiz, 2003. O Rio de Janeiro do meu tempo. Brasília: Senado Federal.

FREIRE-MEDEIROS, Bianca, 2006. A favela que se vê e que se vende reflexões polêmicas em torno de um destino turístico. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 22(65), pp. 61-72.

FREIRE-MEDEIROS, Bianca, 2009. Gringo na laje: Produção, circulação e consumo da favela turística.. Rio de Janeiro: FGV.

FREIRE-MEDEIROS, Bianca & MENEZES, Palloma, 2008. Turismo e patrimônio num território em conflito: o caso do morro da providência. Cidade, Território e Urbanismo: Heranças e Inovações , 10(3).

FREIRE-MEDEIROS, Bianca & MENEZES, Palloma, 2009. Fotografando a pobreza turística. Revista Anthropológicas, Volume 20, pp. 173-198.

MENEZES, Palloma, 2008. Interseções entre novos sentidos de patrimônio, turismo e políticas públicas: Um estudo de caso sobre o Museu a céu aberto do Morro da Providência. Rio de Janeiro: Dissertação de Mestrado em Ciências Humanas - IUPERJ.

NAPOLITANO, Marcos, 2009. "O fantasma de um clássico": recepção e reminiscências de Favela dos Meus Amores. Revista de Cultura Audiovisual, 36(32).

NOVAES, Regina, 2013. Quatro jovens, quatro trajetórias.. Volume 1.

Revista da Semana, 1935. Favela o Berço do Samba. Revista da Semana, Issue 16, p. 52.

SEVCENKO, Nicolau, 1998. A Capital Irradiante: Técnica, Ritmos e Ritos do Rio de Janeiro.. Em: História da Vida Privada do Brasil 3. São Paulo: Cia das Letras, pp. 513 - 561.

VALLADARES, Lícia, 1991. Cem anos pensando a pobreza (urbana) no Brasil. Em: Corporativismo e desigualdade: a construção do espaço público no Brasil.. Rio de Janeiro: IUPERJ/Rio Fundo, pp. 81-112.

VALLADARES, Lícia, 2005. A invenção da favela: do mito de origem à favela.com. Rio de Janeiro: FGV.

VEENA, Das. & POOLE, Deborah, 2004. Anthropology in the Margins of the State. Oxford: School of American Research Press/James Currey.




Direitos autorais 2018 Anais Brasileiros de Estudos Turísticos - ABET

Indexadores da Revista ABET:
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Biblioteca da Universidade de Santa Cruz do Sul
Programa de Pós-Graduação Geografia Universidade Brasília
 
 
 
Departamento de Turismo/DepTur, Instituto de Ciências Humanas/ICH, Sala A-II-08, bloco A.
Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
R. José Lourenço Kelmer, Campus Universitário, São Pedro. Juiz de Fora, Minas Gerais (MG) / Brasil. CEP.: 36036-330.
ISSN 2238-2925